jusbrasil.com.br
22 de Outubro de 2019
    Adicione tópicos

    Rádio Justiça: Acusado de matar inglesa é condenado a 21 anos de prisão pelo Tribunal do Júri em Goiânia

    Supremo Tribunal Federal
    há 10 anos

    Após quase 15 horas de julgamento, Mohammed DAli Carvalho dos Santos, que confessou ter matado e esquartejado a inglesa Cara Marie Burke, de 17 anos, em julho do ano passado, foi condenado a cumprir pena de 21 anos de prisão em regime fechado. Ele foi condenado a 19 anos pelo crime de homicidio duplamenrte qualificado e a 2 anos pelo crime de ocultação de cadáver.

    O julgamento ocorreu nesta quinta-feira (14), no 1º Tribunal do Júri de Goiânia, e foi transmitido pela Rádio Justiça.

    Após o julgamento, o juiz Jesseir Coelho, que preside o tribunal, explicou que a pena foi atenuada porque o réu é primário. O juiz explicou, ainda, que o condenaado, depois de cumprir oito anos na prisão, poderá ser beneficiado com a progressão de regime, com possibilidade de migrar para o semiaberto. Acusação e defesa disseram que não pretendem recorrer.

    O réu Mohammed DAli Carvalho dos Santos, durante interrogatório, confessou detalhes do crime e disse que matou Cara Burk sem consciência plena do que fazia e que a atitude teria sido uma reação a uma chantagem.

    Ela me pediu dinheiro, eu falei que não tinha. Aí joguei uns 50 gramas de pó que eu tinha em cima da mesa. Ela falou: 'pra droga você tem? Eu falei: é lógico, eu não sou seu pai. Ela falou que ia ligar pro cara que estava ficando para buscar a droga dela e fazer um dinheiro com a droga. Então eu aumentei o som para atrapalhar a ligação, mas a hora que ela foi levando o telefone pro ouvido eu comecei a furar ela, pus a mão na boca dela e comecei a furar, disse Mohammed.

    A maioria dos sete jurados entendeu que Mohammed sabia o que estava fazendo, e por isso rejeitou argumentação da defesa de que o acusado deveria receber redução da pena e tratamento.

    Durante mais de 5 horas, acusação e defesa travaram uma grande discussão sobre insanidade mental. A acusação argumentou ao júri que Mohammed premeditou o crime, e por isso não sofria qualquer transtorno.

    Já a defesa argumentou que o réu não tem controle das ações dele, e sofre de transtorno de personalidade antissocial.

    Antes dos debates entre acusação e defesa, foram ouvidas no Tribunal do Júri de Goiânia duas testemunhas de acusação e quatro testemunhas da defesa.

    No lado da acusação, o policial Cláudio Oliveira Silva, que prendeu Mohamed, disse em juízo que gravou uma tentativa de subordo em que Mohammed oferecia R$ 50 mil para não ser preso.

    Pela defesa, o irmão de Mohammed DAli Carvalho dos Santos, Bruce Lee Carvalho dos Santos, disse que temia o irmão, que tentou matá-lo pelo menos duas vezes.

    Já a atual namorada de Mohammed, que deu à luz a um filho dele em março passado, disse que o acusado teria se arrependido do crime e que assassinou e esquartejou a inglesa Cara Marie Burk porque estava sob efeito de drogas.

    O julgamento será retransmitido pela Rádio Justiça neste fim de semana, e o áudio, que já está disponível no site da emissora, também pode ser baixado gratuitamente no endereço: www.radiojustica.jus.br.

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)