jusbrasil.com.br
28 de Junho de 2022
  • 2º Grau
  • Controle Concentrado de Constitucionalidade
  • Decisão de mérito
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Supremo Tribunal Federal STF - AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE: ADI 4717 DF

Supremo Tribunal Federal
há 3 anos

Detalhes da Jurisprudência

Processo

ADI 9940164-17.2012.1.00.0000 DF

Órgão Julgador

Tribunal Pleno

Partes

REQTE.(S) : PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA, INTDO.(A/S) : PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Publicação

15/02/2019

Julgamento

5 de Abril de 2018

Relator

CÁRMEN LÚCIA

Documentos anexos

Inteiro TeorSTF_ADI_4717_23551.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE. MEDIDA PROVISÓRIA N. 558/2012. CONVERSÃO NA LEI N. 12.678/2012. INÉPCIA DA INICIAL E PREJUÍZO DA AÇÃO QUANTO AOS ARTS. E 11 DA MEDIDA PROVISÓRIA N. 558/2012 E AO ART. 20 DA LEI N. 12.678/2012. POSSIBILIDADE DE EXAME DOS REQUISITOS CONSTITUCIONAIS PARA O EXERCÍCIO DA COMPETÊNCIA EXTRAORDINÁRIA NORMATIVA DO CHEFE DO EXECUTIVO. AUSÊNCIA DOS PRESSUPOSTOS DE RELEVÂNCIA E URGÊNCIA. ALTERAÇÃO DA ÁREA DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO POR MEDIDA PROVISÓRIA. IMPOSSIBILIDADE. CONFIGURADA OFENSA AO PRINCÍPIO DA PROIBIÇÃO DE RETROCESSO SOCIOAMBIENTAL. AÇÃO PARCIALMENTE CONHECIDA E, NESSA PARTE, JULGADA PROCEDENTE, SEM PRONÚNCIA DE NULIDADE.

1. Este Supremo Tribunal manifestou-se pela possibilidade e análise dos requisitos constitucionais para a edição de medida provisória após a sua conversão em lei.
2. A jurisprudência deste Supremo Tribunal admite, em caráter excepcional, a declaração de inconstitucionalidade de medida provisória quando se comprove abuso da competência normativa do Chefe do Executivo, pela ausência dos requisitos constitucionais de relevância e urgência. Na espécie, na exposição de motivos da medida provisória não se demonstrou, de forma suficiente, os requisitos constitucionais de urgência do caso.
3. As medidas provisórias não podem veicular norma que altere espaços territoriais especialmente protegidos, sob pena de ofensa ao art. 225, inc. III, da Constituição da Republica.
4. As alterações promovidas pela Lei n. 12.678/2012 importaram diminuição da proteção dos ecossistemas abrangidos pelas unidades de conservação por ela atingidas, acarretando ofensa ao princípio da proibição de retrocesso socioambiental, pois atingiram o núcleo essencial do direito fundamental ao meio ambiente ecologicamente equilibrado previsto no art. 225 da Constituição da Republica.
5. Ação direta de inconstitucionalidade parcialmente conhecida e, nessa parte, julgada procedente, sem pronúncia de nulidade.

Decisão

Após o voto da Relatora, Ministra Cármen Lúcia (Presidente), conhecendo em parte da ação, e, na parte conhecida, julgando procedente o pedido, sem pronúncia de nulidade, pediu vista dos autos o Ministro Alexandre de Moraes. Ausente, justificadamente, o Ministro Dias Toffoli. Falaram: pelo Ministério Público Federal, o Dr. Rodrigo Janot Monteiro de Barros, Procurador-Geral da República; pela Advocacia-Geral da União, a Dra. Grace Maria Fernandes Mendonça, Advogada-Geral da União; e, pelo amicus curiae, Terra de Direitos, o Dr. Pedro Sergio Vieira Martins. Plenário, 16.8.2017. Decisão: O Tribunal, por unanimidade e nos termos do voto da Relatora, Ministra Cármen Lúcia (Presidente), conheceu em parte da ação, e, na parte conhecida, julgou procedente o pedido para, sem pronunciamento de nulidade, declarar a inconstitucionalidade da Medida Provisória n. 558/2012, convertida na Lei n. 12.678/2012. Ausentes, justificadamente, os Ministros Gilmar Mendes e Celso de Mello, e, neste julgamento, o Ministro Luiz Fux. Plenário, 5.4.2018.

Acórdão

Após o voto da Relatora, Ministra Cármen Lúcia (Presidente), conhecendo em parte da ação, e, na parte conhecida, julgando procedente o pedido, sem pronúncia de nulidade, pediu vista dos autos o Ministro Alexandre de Moraes. Ausente, justificadamente, o Ministro Dias Toffoli. Falaram: pelo Ministério Público Federal, o Dr. Rodrigo Janot Monteiro de Barros, Procurador-Geral da República; pela Advocacia-Geral da União, a Dra. Grace Maria Fernandes Mendonça, Advogada-Geral da União; e, pelo amicus curiae, Terra de Direitos, o Dr. Pedro Sergio Vieira Martins. Plenário, 16.8.2017. Decisão: O Tribunal, por unanimidade e nos termos do voto da Relatora, Ministra Cármen Lúcia (Presidente), conheceu em parte da ação, e, na parte conhecida, julgou procedente o pedido para, sem pronunciamento de nulidade, declarar a inconstitucionalidade da Medida Provisória n. 558/2012, convertida na Lei n. 12.678/2012. Ausentes, justificadamente, os Ministros Gilmar Mendes e Celso de Mello, e, neste julgamento, o Ministro Luiz Fux. Plenário, 5.4.2018.

Referências Legislativas

Observações

- Acórdão (s) citado (s): (ADI, ADITAMENTO, PETIÇÃO INICIAL, MEDIDA PROVISÓRIA, CONVERSÃO, LEI) ADI 1922 (TP), ADI 3047 AgR (TP), ADI 4048 MC (TP). (ADI, PETIÇÃO INICIAL, INÉPCIA) ADI 259 (TP), ADI 1811 MC (TP), ADI 1708 (TP). (ADI, AUSÊNCIA, REPRODUÇÃO, LEI, DISPOSITIVO, MEDIDA PROVISÓRIA, PERDA DO OBJETO) ADI 1976 (TP), ADI 3101 AgR (TP), ADI 3864 AgR (TP). (ADI, ESGOTAMENTO, EFICÁCIA, ATO NORMATIVO IMPUGNADO, PERDA DO OBJETO) ADI 1979 MC (TP), ADI 4365 (TP), ADI 4005 AgR (TP). (STF, DECLARAÇÃO DE INCONSTITUCIONALIDADE, MEDIDA PROVISÓRIA, AUSÊNCIA, REQUISITO, RELEVÂNCIA, URGÊNCIA) ADI 2418 (TP), ADI 3330 (TP), RE 592377 (TP), ADI 2213 MC (TP), ADI 3090 MC (TP), ADC 11 MC (TP), ADI 4049 MC (TP), ADI 2527 MC (TP), ADI 1910 MC (TP), ARE 704520 (TP), ADI 162 MC (TP), ADI 1753 MC (TP), ADI 1647 MC (TP), ADI 1717 MC (TP). (DECRETO-LEI, FORÇA DE LEI, PRINCÍPIO DA RESERVA LEGAL) RE 99698 (2ªT), RE 99696 (2ªT), RE 100053 (2ªT), RE 99692 (1ªT), RE 99703 (1ªT), RE 104267 (TP), RE 106267 (1ªT). (CONSTITUCIONALIDADE, MEDIDA PROVISÓRIA, CRIAÇÃO, AUMENTO, TRIBUTO) RE 146733, RE 232526 (2ªT), AI 236976 AgR (2ªT), RE 286292 AgR (2ªT), AI 370209 AgR (1ªT), RE 422313 AgR (1ªT), ADI 1417 MC (TP), RE 636319 AgR (2ªT), ADI 1667 MC (TP). (MEDIDA PROVISÓRIA, CRIAÇÃO, FUNDOS PÚBLICOS) ADI 1726 MC (TP). (MEDIDA PROVISÓRIA, UTILIZAÇÃO, FLORESTA AMAZÔNICA, INEXIGIBILIDADE, LEI COMPLEMENTAR) ADI 1516 MC (TP). (LEI FORMAL, ALTERAÇÃO, SUPRESSÃO, ÁREA PROTEGIDA) MS 26064 (TP), ADI 3540 MC (TP), RE 519778 AgR (1ªT). (STF, APRECIAÇÃO, REQUISITO, EDIÇÃO, MEDIDA PROVISÓRIA, MOMENTO POSTERIOR, CONVERSÃO, LEI) ADI 1721 (TP), ARE 704520 (TP). (MEDIDA PROVISÓRIA, EDIÇÃO, LEI PENAL MAIS BENÉFICA) RE 254818 (TP). (PRINCÍPIO DA PROIBIÇÃO DO RETROCESSO SOCIAL) ADI 4350 (TP). (CONVALIDAÇÃO, VÍCIO, MEDIDA PROVISÓRIA, CONVERSÃO, LEI) ADI 4048 MC (TP), ADI 4049 MC (TP). Número de páginas: 81. Análise: 29/05/2019, JRS.
Disponível em: https://stf.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/768149784/acao-direta-de-inconstitucionalidade-adi-4717-df

Informações relacionadas

Supremo Tribunal Federal
Notíciashá 4 anos

Plenário decide que é inconstitucional redução de área preservada por meio de medida provisória

Dra Lorena Lucena Tôrres, Advogado
Artigoshá 4 anos

A inconstitucionalidade da redução de Unidade de Conservação por meio de Medida Provisória

Tribunal Regional Federal da 3ª Região
Jurisprudênciahá 5 anos

Tribunal Regional Federal da 3ª Região TRF-3 - APELAÇÃO CÍVEL: AC 000XXXX-77.2004.4.03.6100 SP

Tribunal de Justiça de São Paulo
Jurisprudênciahá 2 anos

Tribunal de Justiça de São Paulo TJ-SP - Recurso Inominado Cível: RI 100XXXX-91.2020.8.26.0097 SP 100XXXX-91.2020.8.26.0097

Supremo Tribunal Federal
Jurisprudênciahá 2 anos

Supremo Tribunal Federal STF - AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE: ADI 6096 DF 001XXXX-17.2019.1.00.0000