jusbrasil.com.br
30 de Novembro de 2021
2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Supremo Tribunal Federal STF - AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE : ADI 3340 DF

Supremo Tribunal Federal
há 15 anos
Detalhes da Jurisprudência
Processo
ADI 3340 DF
Órgão Julgador
Tribunal Pleno
Partes
PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA, PRESIDENTE DA REPÚBLICA, ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO
Publicação
DJ 09-03-2007 PP-00025 EMENT VOL-02267-01 PP-00089
Julgamento
3 de Novembro de 2005
Relator
MARCO AURÉLIO
Documentos anexos
Inteiro TeorADI_3340_DF-_03.11.2005.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

Ação Direta de Inconstitucionalidade contra o Decreto no 4.346/2002 e seu Anexo I, que estabelecem o Regulamento Disciplinar do Exército Brasileiro e versam sobre as transgressões disciplinares.

2. Alegada violação ao art. 5o, LXI, da Constituição Federal.
3. Voto vencido (Rel. Min. Março Aurélio): a expressão ("definidos em lei") contida no art. 5o, LXI, refere-se propriamente a crimes militares.
4. A Lei no 6.880/1980 que dispõe sobre o Estatuto dos Militares, no seu art. 47, delegou ao Chefe do Poder Executivo a competência para regulamentar transgressões militares. Lei recepcionada pela Constituição Federal de 1988. Improcedência da presente ação.
5. Voto vencedor (divergência iniciada pelo Min. Gilmar Mendes): cabe ao requerente demonstrar, no mérito, cada um dos casos de violação. Incabível a análise tão-somente do vício formal alegado a partir da formulação vaga contida na ADI.
6. Ausência de exatidão na formulação da ADI quanto às disposições e normas violadoras deste regime de reserva legal estrita.
7. Dada a ausência de indicação pelo decreto e, sobretudo, pelo Anexo, penalidade específica para as transgressões (a serem graduadas, no caso concreto) não é possível cotejar eventuais vícios de constitucionalidade com relação a cada uma de suas disposições. Ainda que as infrações estivessem enunciadas na lei, estas deveriam ser devidamente atacadas na inicial.
8. Não conhecimento da ADI na forma do artigo da Lei no 9.868/1999.
9. Ação Direta de Inconstitucionalidade não-conhecida.

Decisão

O Tribunal, por maioria, não conheceu da ação, vencidos os Senhores Ministros Março Aurélio (Relator), Cezar Peluso e a Senhora Ministra Ellen Gracie, que a conheciam. Votou o Presidente, Ministro Nelson Jobim. Redigirá o acórdão o Senhor Ministro Gilmar Mendes. Ausente, justificadamente, o Senhor Ministro Carlos Velloso. Falou pela Advocacia-Geral da União, o Dr. Álvaro Augusto Ribeiro Costa, Advogado-Geral da União. Plenário, 03.11.2005.

Resumo Estruturado

- VIDE EMENTA E INDEXAÇÃO PARCIAL: APLICAÇÃO, PRINCÍPIO DA RESERVA LEGAL ESTRITA, IMPOSSIBILIDADE, APRECIAÇÃO, DISPOSITIVO, DECRETO, DISCIPLINA, CAMARADAGEM, AMIZADE, RELAÇÃO SOCIAL, AMBIENTE, MILITAR. - FUNDAMENTAÇÃO COMPLEMENTAR, MIN. SEPÚLVEDA PERTENCE: PRINCÍPIO DA RESERVA LEGAL, REFERÊNCIA, TRANSGRESSÃO DISCIPLINAR, SUJEIÇÃO, PRISÃO. - VOTO VENCIDO, MIN. MARÇO AURÉLIO: TRANSGRESSÃO MILITAR, RESTRIÇÃO, CAMPO ADMINISTRATIVO, FORÇAS ARMADAS, DECORRÊNCIA, HIERARQUIA, DISCIPLINA, VIABILIDADE, DISCIPLINAMENTO, MEIO, REGULAMENTO . AFASTAMENTO, ÓBICE, ADMISSIBILIDADE, AÇÃO, FATO, IMPUGNAÇÃO, BASE, ALEGAÇÃO, VÍCIO FORMAL.

Referências Legislativas

Observações

-Acórdão citado: HC 70648 (RTJ 153/931). N.PP.: 43 Análise: 03/04/2007, JBM.
Disponível em: https://stf.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/762635/acao-direta-de-inconstitucionalidade-adi-3340-df

Informações relacionadas

Tribunal de Justiça do Paraná TJ-PR - PROCESSO CÍVEL E DO TRABALHO - Recursos - Apelação : APL 0027482-33.2018.8.16.0013 PR 0027482-33.2018.8.16.0013 (Acórdão)

Tribunal de Justiça do Paraná
Jurisprudênciahá 2 anos

Tribunal de Justiça do Paraná TJ-PR - PROCESSO CÍVEL E DO TRABALHO - Recursos - Apelação : APL 0027482-33.2018.8.16.0013 PR 0027482-33.2018.8.16.0013 (Acórdão)

Superior Tribunal de Justiça STJ - MANDADO DE SEGURANÇA : MS 0066791-23.2004.3.00.0000 DF 2004/0066791-6