jusbrasil.com.br
30 de Junho de 2022
  • 2º Grau
  • Controle Concentrado de Constitucionalidade
  • Decisão de mérito
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Supremo Tribunal Federal STF - AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE: ADI 2602 MG

Supremo Tribunal Federal
há 16 anos

Detalhes da Jurisprudência

Processo

ADI 2602 MG

Órgão Julgador

Tribunal Pleno

Partes

REQTE. : ASSOCIAÇÃO DOS NOTÁRIOS E REGISTRADORES DO

Publicação

31/03/2006

Julgamento

24 de Novembro de 2005

Relator

JOAQUIM BARBOSA

Documentos anexos

Inteiro TeorADI_2602_MG-_24.11.2005.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE. PROVIMENTO N. 055/2001 DO CORREGEDOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS. NOTÁRIOS E REGISTRADORES. REGIME JURÍDICO DOS SERVIDORES PÚBLICOS. INAPLICABILIDADE. EMENDA CONSTITUCIONAL N. 20/98. EXERCÍCIO DE ATIVIDADE EM CARÁTER PRIVADO POR DELEGAÇÃO DO PODER PÚBLICO. INAPLICABILIDADE DA APOSENTADORIA COMPULSÓRIA AOS SETENTA ANOS. INCONSTITUCIONALIDADE.

1. O artigo 40, § 1º, inciso II, da Constituição do Brasil, na redação que lhe foi conferida pela EC 20/98, está restrito aos cargos efetivos da União, dos Estados-membros , do Distrito Federal e dos Municípios --- incluídas as autarquias e fundações.
2. Os serviços de registros públicos, cartorários e notariais são exercidos em caráter privado por delegação do Poder Público --- serviço público não-privativo.
3. Os notários e os registradores exercem atividade estatal, entretanto não são titulares de cargo público efetivo, tampouco ocupam cargo público. Não são servidores públicos, não lhes alcançando a compulsoriedade imposta pelo mencionado artigo 40 da CB/88 --- aposentadoria compulsória aos setenta anos de idade.
4. Ação direta de inconstitucionalidade julgada procedente.

Decisão

Após o voto do Senhor Ministro Joaquim Barbosa (Relator), que julgava improcedente a ação, e do voto do Senhor Ministro Eros Grau, julgando-a procedente, pediu vista dos autos o Senhor Ministro Carlos Britto. Falou pela requerente o Dr. Romeu Felipe Bacellar Filho. Presidência do Senhor Ministro Nelson Jobim. Plenário, 11.11.2004. Decisão: Renovado o pedido de vista do Senhor Ministro Carlos Britto, justificadamente, nos termos do § 1º do artigo 1º da Resolução nº 278, de 15 de dezembro de 2003. Presidência do Senhor Ministro Nelson Jobim. Plenário, 17.02.2005. Decisão: O Tribunal, por maioria, julgou procedente a ação para declarar a inconstitucionalidade do Provimento nº 55/2001, do Corregedor-Geral de Justiça do Estado de Minas Gerais, vencido o Senhor Ministro Joaquim Barbosa (Relator). Votou o Presidente, Ministro Nelson Jobim. Redigirá o acórdão o Senhor Ministro Eros Grau. Ausentes, justicadamente, os Senhores Ministros Sepúlveda Pertence, Celso de Mello e Gilmar Mendes. Plenário, 24.11.2005.

Acórdão

Após o voto do Senhor Ministro Joaquim Barbosa (Relator), que julgava improcedente a ação, e do voto do Senhor Ministro Eros Grau, julgando-a procedente, pediu vista dos autos o Senhor Ministro Carlos Britto. Falou pela requerente o Dr. Romeu Felipe Bacellar Filho. Presidência do Senhor Ministro Nelson Jobim. Plenário, 11.11.2004. Decisão: Renovado o pedido de vista do Senhor Ministro Carlos Britto, justificadamente, nos termos do § 1º do artigo 1º da Resolução nº 278, de 15 de dezembro de 2003. Presidência do Senhor Ministro Nelson Jobim. Plenário, 17.02.2005. Decisão: O Tribunal, por maioria, julgou procedente a ação para declarar a inconstitucionalidade do Provimento nº 55/2001, do Corregedor-Geral de Justiça do Estado de Minas Gerais, vencido o Senhor Ministro Joaquim Barbosa (Relator). Votou o Presidente, Ministro Nelson Jobim. Redigirá o acórdão o Senhor Ministro Eros Grau. Ausentes, justicadamente, os Senhores Ministros Sepúlveda Pertence, Celso de Mello e Gilmar Mendes. Plenário, 24.11.2005.

Resumo Estruturado

- SERVENTIA EXTRAJUDICIAL, REGISTRO PÚBLICO, CARTORÁRIO, NOTARIAL, EXERCÍCIO, CARÁTER PRIVADO, DELEGAÇÃO, PODER PÚBLICO, ATIVIDADE ESTATAL, AUSÊNCIA, TITULARIDADE, CARGO PÚBLICO EFETIVO, INAPLICAÇÃO, APOSENTADORIA COMPULSÓRIA, SERVIDOR PÚBLICO, PREVISÃO, EMENDA CONSTITUCIONAL. - (FUNDAMENTAÇÃO COMPLEMENTAR) , (MIN. CARLOS BRITTO) , NATUREZA, REGIME JURÍDICO, SERVIÇO, REGISTRO PÚBLICO, CARTORÁRIO, NOTARIAL, DIVERSIDADE, SERVIÇO PÚBLICO. SERVIÇO NOTARIAL E DE REGISTRO, CARACTERIZAÇÃO, ATIVIDADE, PODER PÚBLICO, ATIVIDADE JURÍDICA "STRICTO SENSU", REPASSE, PARTICULAR, INTERMÉDIO, DELEGAÇÃO, NECESSIDADE, HABILITAÇÃO, CONCURSO PÚBLICO, FISCALIZAÇÃO, PODER JUDICIÁRIO, UTILIZAÇÃO, TABELA, EMOLUMENTO, FIXAÇÃO, LEI FEDERAL. - (VOTO VENCIDO) , (MIN. JOAQUIM BARBOSA) , APLICAÇÃO, NOTÁRIO, REGISTRADOR, SERVENTIA EXTRAJUDICIAL, DISPOSITIVO, CONSTITUIÇÃO FEDERAL, DISCIPLINA, APOSENTADORIA COMPULSÓRIA, SERVIÇO PÚBLICO, IMPLEMENTAÇÃO, IDADE, CONSIDERAÇÃO, SERVIDOR PÚBLICO, ATIVIDADE, RECONHECIMENTO, FÉ PÚBLICA, NOTAS, REGISTRO, RESPEITO, PRINCÍPIO REPUBLICANO, AFASTAMENTO, PERSONALIZAÇÃO, TENTATIVA, ETERNIZAÇÃO, EXERCÍCIO, FUNÇÃO PÚBLICA, CONSTITUIÇÃO FEDERAL, REJEIÇÃO, PRESUNÇÃO, VITALICIEDADE . DISTINÇÃO, NOTÁRIO, SERVIDOR PÚBLICO, REFERÊNCIA, FORMA, REMUNERAÇÃO .

Referências Legislativas

Observações

-Acórdãos citados: RE 178236 (RTJ-162/772), ADI 1531 MC (RTJ-181/54), ADI 1751, ADI 2602 MC (RTJ-187/177), ADI 2891 MC (RTJ-186/182). -Veja Informativos STF 369 e 410. Número de páginas: (70). Análise: 25/04/06, (JBM).
Disponível em: https://stf.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/762473/acao-direta-de-inconstitucionalidade-adi-2602-mg

Informações relacionadas

Supremo Tribunal Federal
Jurisprudênciahá 10 anos

Supremo Tribunal Federal STF - RECURSO EXTRAORDINÁRIO: RE 530524 RS

Supremo Tribunal Federal
Jurisprudênciahá 3 anos

Supremo Tribunal Federal STF - RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO: ARE 1018943 SP - SÃO PAULO

Supremo Tribunal Federal
Jurisprudênciahá 16 anos

Supremo Tribunal Federal STF - AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE: ADI 2602 MG

Tribunal Superior do Trabalho
Jurisprudênciahá 4 meses

Tribunal Superior do Trabalho TST - RECURSO DE REVISTA: RR 11262-22.2017.5.18.0002

Tribunal Regional Federal da 4ª Região
Jurisprudênciahá 8 meses

Tribunal Regional Federal da 4ª Região TRF-4 - Apelação/Remessa Necessária: APL 500XXXX-29.2021.4.04.7206 SC 500XXXX-29.2021.4.04.7206