jusbrasil.com.br
26 de Maio de 2022
  • 2º Grau
  • Controle Concentrado de Constitucionalidade
  • Decisão de mérito
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Supremo Tribunal Federal STF - AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE: ADI 1800 DF

Supremo Tribunal Federal
há 15 anos
Detalhes da Jurisprudência
Processo
ADI 1800 DF
Órgão Julgador
Tribunal Pleno
Partes
REQTE. : ASSOCIAÇÃO DOS NOTÁRIOS E REGISTRADORES DO
Publicação
28/09/2007
Julgamento
11 de Junho de 2007
Relator
NELSON JOBIM
Documentos anexos
Inteiro TeorADI_1800_DF-_11.06.2007.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

CONSTITUCIONAL. ATIVIDADE NOTARIAL. NATUREZA. LEI 9.534/97. REGISTROS PÚBLICOS. ATOS RELACIONADOS AO EXERCÍCIO DA CIDADANIA. GRATUIDADE. PRINCÍPIO DA PROPORCIONALIDADE. VIOLAÇÃO NÃO OBSERVADA. PRECEDENTES. IMPROCEDÊNCIA DA AÇÃO.

I - A atividade desenvolvida pelos titulares das serventias de notas e registros, embora seja análoga à atividade empresarial, sujeita-se a um regime de direito público.
II - Não ofende o princípio da proporcionalidade lei que isenta os "reconhecidamente pobres" do pagamento dos emolumentos devidos pela expedição de registro civil de nascimento e de óbito, bem como a primeira certidão respectiva.
IV - Ação julgada improcedente.

Decisão

Após o voto do Presidente, Ministro Nelson Jobim (Relator), julgando improcedente a ação, pediu vista dos autos o Senhor Ministro Ricardo Lewandowski. Impedindo o Senhor Ministro Gilmar Mendes. Ausente, justificadamente, o Senhor Ministro Celso de Mello. Plenário, 29.03.2006. Decisão: O Tribunal, por maioria, julgou improcedente a ação direta, vencido o Senhor Ministro Março Aurélio, que a julgava parcialmente procedente. Votou a Presidente, Ministra Ellen Gracie. Lavrará o acórdão o Senhor Ministro Ricardo Lewandowski. Não participou da votação a Senhora Ministra Cármen Lúcia por suceder ao Senhor Ministro Nelson Jobim, que já proferira voto. Impedido o Senhor Ministro Gilmar Mendes. Ausentes, justificadamente, os Senhores Ministros Celso de Mello e Carlos Britto. Plenário, 11.06.2007.

Acórdão

Após o voto do Presidente, Ministro Nelson Jobim (Relator), julgando improcedente a ação, pediu vista dos autos o Senhor Ministro Ricardo Lewandowski. Impedindo o Senhor Ministro Gilmar Mendes. Ausente, justificadamente, o Senhor Ministro Celso de Mello. Plenário, 29.03.2006. Decisão: O Tribunal, por maioria, julgou improcedente a ação direta, vencido o Senhor Ministro Marco Aurélio, que a julgava parcialmente procedente. Votou a Presidente, Ministra Ellen Gracie. Lavrará o acórdão o Senhor Ministro Ricardo Lewandowski. Não participou da votação a Senhora Ministra Cármen Lúcia por suceder ao Senhor Ministro Nelson Jobim, que já proferira voto. Impedido o Senhor Ministro Gilmar Mendes. Ausentes, justificadamente, os Senhores Ministros Celso de Mello e Carlos Britto. Plenário, 11.06.2007.

Resumo Estruturado

-VIDE EMENTA E INDEXAÇÃO PARCIAL: TITULAR, SERVENTIA EXTRAJUDICIAL, SERVIDOR PÚBLICO, EXERCÍCIO, FUNÇÃO PÚBLICA, CARÁTER PRIVADO, DELEGAÇÃO, ESTADO, SUJEIÇÃO, FISCALIZAÇÃO, PODER JUDICIÁRIO. CABIMENTO, PODER PÚBLICO, OPORTUNIDADE, CONVENIÊNCIA, CONCESSÃO, GRATUIDADE, ISENÇÃO, ATO PÚBLICO. -FUNDAMENTAÇÃO COMPLEMENTAR, MIN. RICARDO LEWANDOWSKI: APLICAÇÃO, PRINCÍPIO DA PROPORCIONALIDADE, NECESSIDADE, OBSERVÂNCIA, REQUISITO, PROIBIÇÃO DO EXCESSO, COMULAÇÃO, PROIBIÇÃO DE PROTEÇÃO DEFICIENTE. AUSÊNCIA, RESULTADO, PROIBIÇÃO DE EXCESSO, DISPOSITIVO, ISENÇÃO, EMOLUMENTOS, REGISTRO CIVIL, NASCIMENTO, ÓBITO, MOTIVO, SERVENTIA EXTRAJUDICIAL, MANUTENÇÃO, EQUILÍBRIO, ECONÔMICO-FINANCEIRO, INTERMÉDIO, DIVERSIDADE, ATIVIDADE. ATENDIMENTO, REQUISITO, PROIBIÇÃO DE PROTEÇÃO DEFICIENTE, LEI IMPUGNADA, PROTEÇÃO, INDIVÍDUO, HIPOSSUFICIÊNCIA, RELAÇÃO, DIREITO DE CIDADANIA. INTERVENÇÃO ESTATAL, ESFERA PRIVADA, JUSTIFICAÇÃO, HIPÓTESE, PREPONDERÂNCIA, INTERESSE, COLETIVIDADE, DETRIMENTO, INDIVIDUAL. -VOTO VENCIDO, MIN. MARÇO AURÉLIO: PROCEDENTE EM PARTE, AFASTAMENTO, GRATUIDADE LINEAR, LEI FEDERAL, BENEFÍCIO, CIDADÃO, CONDIÇÃO FINANCEIRA, RECOLHIMENTO, EMOLUMENTO, ESCLARECIMENTO, CONSTITUIÇÃO FEDERAL, CONCESSÃO, GRATUIDADE, PESSOA, RECONHECIMENTO, ESTADO DE POBREZA.

Referências Legislativas

Observações

-Acórdãos citados: Rp 997 (RTJ 100/967), ADI 1298, ADI 1378 MC (RTJ 168/95), ADI 1624 (RTJ 186/428), RE 178236 (RTJ 162/772). Número de páginas: 30 Análise: 19/10/2007, JBM.
Disponível em: https://stf.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/756901/acao-direta-de-inconstitucionalidade-adi-1800-df

Informações relacionadas

Artigoshá 7 anos

O Direito ao bem ambiental como um Direito da Personalidade

Espaço Vital
Notíciashá 14 anos

Isenção total de custas no Registro de Imóveis se a parte goza de gratuidade judiciária

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 26 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - RECURSO ESPECIAL: REsp 94649 RJ 1996/0026283-7