jusbrasil.com.br
30 de Junho de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Supremo Tribunal Federal STF - RECURSO EXTRAORDINÁRIO: RE 600057 SC

Supremo Tribunal Federal
há 13 anos

Detalhes da Jurisprudência

Processo

RE 600057 SC

Partes

DEYSE MORAES COSTA, MARCOS ROGÉRIO PALMEIRA E OUTRO(A/S), ESTADO DE SANTA CATARINA, PGE-SC - KÁTIA SIMONE ANTUNES LASKE

Publicação

DJe-144 DIVULG 31/07/2009 PUBLIC 03/08/2009

Julgamento

9 de Junho de 2009

Relator

Min. EROS GRAU
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Decisão

DECISÃO: Trata-se de recurso extraordinário interposto com fundamento no artigo 102, inciso III, alíneas “a” e “c”, da Constituição do Brasil contra acórdão do Tribunal de Justiça do Estado de Santa Catarina, ementado nos seguintes termos [fl. 87]: “SERVIDORA PÚBLICA MUNICIPAL. CONTRATO POR PRAZO DETERMINADO. EXTINÇÃO DO VÍNCULO EMPREGATÍCIO. GESTAÇÃO. Em se cuidando de contrato por prazo determinado, inexiste qualquer direito à permanência na função pública, não caracterizando óbice à sua extinção o estado de gestação da servidora, ressalvado, naturalmente, o pagamento das verbas trabalhistas efetivamente devidas” 2. Alega-se, no recurso extraordinário, violação do disposto nos artigos , XVIII, e 39, § 3º, da Constituição do Brasil, bem como do disposto no art. 10, II, “b”, do ADCT. 3. Deixo de apreciar a existência da repercussão geral, vez que o artigo 323, § 1º, do RISTF dispõe que "[t]al procedimento não terá lugar, quando o recurso versar questão cuja repercussão já houver sido reconhecida pelo Tribunal, ou quando impugnar decisão contrária a súmula ou a jurisprudência dominante, casos em que se presume a existência de repercussão geral”. 4. O recurso merece prosperar. O acórdão recorrido está em divergência com o entendimento fixado pelo Supremo Tribunal Federal, como se depreende do julgamento do RE n. 287.905, Relator para o acórdão o Ministro Joaquim Barbosa, DJ de 30.6.06, cuja ementa transcrevo: “EMENTA: CONSTITUCIONAL. LICENÇA-MATERNIDADE. CONTRATO TEMPORÁRIO DE TRABALHO. SUCESSIVAS CONTRATAÇÕES. ESTABILIDADE PROVISÓRIA. ART. , XVIII DA CONSTITUIÇÃO. ART. 10, II, b do ADCT. RECURSO DESPROVIDO. A empregada sob regime de contratação temporária tem direito à licença-maternidade, nos termos do art. , XVIII da Constituição e do art. 10, II, b do ADCT, especialmente quando celebra sucessivos contratos temporários com o mesmo empregador. Recurso a que se nega provimento.” 5. Cabe ressaltar que relativamente à alínea “c” do artigo 102 da Constituição do Brasil, o acórdão impugnado não julgou válida lei ou ato de governo local contestado em face da Constituição. Dou provimento ao recurso com fundamento no disposto no art. 557, § 1º-A, do CPC. Declaro invertidos os ônus da sucumbência. Publique-se. Brasília, 9 de junho de 2009. Ministro Eros Grau - Relator – 1

Observações

Legislação feita por:(ESB).
Disponível em: https://stf.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/5226080/recurso-extraordinario-re-600057-sc-stf

Informações relacionadas

Rafael Almeida Ribeiro, Advogado
Artigoshá 6 anos

Estabilidade da gestante ocupantes de cargos em comissão

Fabiola Achterberg, Estudante de Direito
Artigosano passado

Estabilidade da gestante ocupante de cargo em comissão

Supremo Tribunal Federal
Jurisprudênciahá 16 anos

Supremo Tribunal Federal STF - RECURSO EXTRAORDINÁRIO: RE 287905 SC

Tribunal de Justiça de Santa Catarina
Jurisprudênciahá 15 anos

Tribunal de Justiça de Santa Catarina TJ-SC - Apelação Cível: AC 177869 SC 2007.017786-9

Tribunal de Justiça de Santa Catarina
Jurisprudênciahá 11 meses

Tribunal de Justiça de Santa Catarina TJ-SC - Apelação / Remessa Necessária: APL 503XXXX-55.2020.8.24.0023 Tribunal de Justiça de Santa Catarina 503XXXX-55.2020.8.24.0023