jusbrasil.com.br
17 de Setembro de 2021
2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Supremo Tribunal Federal STF - RECURSO EXTRAORDINÁRIO : RE 591054 SC

Supremo Tribunal Federal
há 7 anos
Detalhes da Jurisprudência
Processo
RE 591054 SC
Partes
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SANTA CATARINA, PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SANTA CATARINA, SANDRO GASPARI, SANDRO SPRICIGO, DEFENSOR PÚBLICO-GERAL FEDERAL
Publicação
DJe-152 DIVULG 06/08/2014 PUBLIC 07/08/2014
Julgamento
1 de Agosto de 2014
Relator
Min. MARCO AURÉLIO
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Decisão

Petição/STF nº 14.725/2014MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL – QUALIFICAÇÃO NO PROCESSO – MANIFESTAÇÃO – PRESCRIÇÃO – AUDIÇÃO DAS PARTES. 1. O assessor Dr. Roberto Lisandro Leão prestou as seguintes informações: O Ministério Público Federal requer o reconhecimento do prejuízo do extraordinário, ante a superveniência da prescrição da pretensão punitiva do Estado. Sustenta que, mesmo sendo atendida integralmente a respectiva pretensão, a pena relativa a cada um dos crimes voltaria ao patamar de sete meses, correspondendo, nos termos da lei vigente ao tempo dos fatos, ao prazo de prescrição de dois anos, o qual já teria transcorrido, pois a publicação da sentença deu-se em 13 de fevereiro de 2007, última causa de interrupção. O Tribunal, em 24 de outubro de 2008, reconheceu a existência de repercussão geral da matéria constitucional versada neste extraordinário – a possibilidade de processos em curso serem considerados maus antecedentes para efeito de dosimetria da pena,ante o princípio da presunção de não culpabilidade. A apreciação do recurso foi iniciada em 5 de junho de 2014. Vossa Excelência negou provimento ao extraordinário, sendo acompanhado pelos ministros Roberto Barroso, Teori Zavascki e Gilmar Mendes. Os ministros Ricardo Lewandowski, Rosa Weber, Luiz Fux e Cármen Lúcia pronunciaram-se pelo provimento. A assentada foi suspensa. 2. Em primeiro lugar, o Ministério Público Federal atua como fiscal da lei. Daí não ser possível cogitar de requerimento, mas de simples manifestação, de parecer. Em segundo lugar, o recorrente e o recorrido devem ser ouvidos sobre o que veiculado em termos de incidência da prescrição. 3. Digam as partes. 4. Publiquem.Brasília – residência –, 1º de agosto de 2014, às 19h10.Ministro MARCO AURÉLIORelator
Disponível em: https://stf.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/25222111/recurso-extraordinario-re-591054-sc-stf

Informações relacionadas

Supremo Tribunal Federal
Jurisprudênciahá 6 anos

Supremo Tribunal Federal STF - RECURSO EXTRAORDINÁRIO : RE 591054 SC - SANTA CATARINA

Petição/STF nº 8.486/2015 DECISAO PROCESSO SUBJETIVO – BALIZAS – ORGANICIDADE DO DIREITO INSTRUMENTAL. 1. O Gabinete prestou as seguintes informações: Em 17 de dezembro de 2014, o Tribunal, por maioria, negou provimento ao recurso, nos termos do voto proferido por Vossa Excelência, ante fundamentos assim resumidos (folha …
Supremo Tribunal Federal
Jurisprudênciahá 7 anos

Supremo Tribunal Federal STF - RECURSO EXTRAORDINÁRIO : RE 591054 SC - SANTA CATARINA

PENA - FIXAÇÃO - ANTECEDENTES CRIMINAIS - INQUÉRITOS E PROCESSOS EM CURSO - DESINFLUÊNCIA. Ante o princípio constitucional da não culpabilidade, inquéritos e processos criminais em curso são neutros na definição dos antecedentes criminais. (RE 591054, Relator(a):  Min. MARCO AURÉLIO, Tribunal Pleno, julgado em …
Supremo Tribunal Federal
Jurisprudênciahá 13 anos

Supremo Tribunal Federal STF - REPERCUSSÃO GERAL NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO : RG RE 591054 SC - SANTA CATARINA

CRIMINAL - CIRCUNSTÂNCIAS JUDICIAIS - ARTIGO 59 DO CÓDIGO PENAL - PROCESSOS EM CURSO - PRESUNÇÃO DE NÃO-CULPABILIDADE - ALCANCE. Possui repercussão geral controvérsia sobre a possibilidade de processos em curso serem considerados maus antecedentes para efeito de dosimetria da pena, ante o princípio da presunção de …