jusbrasil.com.br
17 de Agosto de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Supremo Tribunal Federal STF - RECURSO EXTRAORDINÁRIO: RE XXXXX RJ

Supremo Tribunal Federal
há 21 anos

Detalhes da Jurisprudência

Processo

Partes

Publicação

Julgamento

Relator

Min. CARLOS VELLOSO
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Decisão

- Vistos.Assim equacionou a controvérsia o ilustre Subprocurador-Geral Paulo de Tarso Braz Lucas:"(...) 1. Trata-se de recurso extraordinário (fls.22/32) que MARIA DE LOURDES DA SILVA, com fundamento na alínea 'a' do permissivo constitucional e sob alegação de contrariedade ao art. 37, § 6º, da CF/88, formalizou em face do v. acórdão que se encontra reproduzido às fls.12/14, pelo qual a 5ª Câmara do Tribunal de Alçada Cível do Estado do Rio de Janeiro negou provimento à apelação da ora recorrente, assim decidindo pelas razões sintetizadas na seguinte 'Ação Sumária de Indenização.Acidente em estação ferroviária.Tendo o réu falecido em decorrência de queimaduras de 3º grau, nove dias após, é de concluir-se que não podia estar no interior da composição, mas que viajava pelo lado de fora e em cima, por sua conta e risco.Ocorrendo o acidente por culpa exclusiva da vítima, não cabe indenização da Companhia Ferroviária.Sentença que se mantém.'2. Embora processado por força de provimento de agravo de instrumento, na forma do art. 544, §§ 3º e ,do CPC (v. r. de fls. 57/59), o presente recurso extraordinário não merece prosperar. Uma vez assentado que tanto a Constituição atual como a anterior não adotaram a'teoria do chamado risco integral' ( RE nº 91.376-SC,Relator Exmo. Sr. Min. Xavier de Albuquerque, DJ de 14.09.79, RTJ 91/377) e definido que a última instância ordinária concluiu pela existência de culpa exclusiva da vítima, não resta outro caminho senão o do não conhecimento do recurso, nos exatos termos da Súmula 279-STF. Para indagar sobre 'a insuficiência dos meios de transporte ou a falta de fiscalização da regularidade deste', ou aferir se a concessionária deixou 'de exercer o poder de polícia que lhe é inerente', seria necessário,sim, que esse Colendo Tribunal procedesse a reexame de provas, o que contraria frontalmente a referida súmula.3. Nesse sentido, confira-se, independentemente de maiores considerações, o aresto prolatado no RE nº 120.924-1-SP Sr. Min. Moreira Alves, 1ª Turma, DJ de 27.08.93), com ementa do seguinte teor:'- Responsabilidade objetiva do Estado. Ocorrência de culpa exclusiva da vítima.- Esta Corte tem admitido que a responsabilidade objetiva da pessoa jurídica de direito público seja reduzida ou excluída conforme haja culpa concorrente do particular ou tenha sido este o exclusivo culpado (Ag.113.722-3-AgRg e RE 113.587).- No caso, tendo o acórdão recorrido, com base na análise dos elementos probatórios cujo reexame não é admissível em recurso extraordinário, decidido que ocorreu culpa exclusiva da vítima, inexistente a responsabilidade civil da pessoa jurídica de direito público, pois foi a vítima que deu causa ao infortúnio, o que afasta, sem dúvida,o nexo de causalidade entre a ação e a omissão e o dano, no tocante ao ora recorrido.Recurso extraordinário não conhecido.'4. Aliás, essa mesma orientação foi recentemente adotada em caso idêntico ao presente (RE nº 209.137-5-RJ, Relator Exmo. Sr. Min. Moreira Alves, DJ de 05.02.99), em que também foi recorrida a COMPANHIA BRASILEIRA DE TRENS URBANOS - CBTU.5. Pelo exposto, somos pelo não conhecimento do presente recurso extraordinário.(...)" (fls. 64/65).Autos conclusos em 19.6.2001.Decido.Correto o parecer, que adoto. Em conseqüência, nego seguimento ao recurso (arts. 557, caput, do C.P.C., 38 da Lei 8.038/90 e 21, § 1º, do R.I./S.T.F.).Publique-se.Brasília, 24 de setembro de 2001.Ministro CARLOS VELLOSO- Relator -
Disponível em: https://stf.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/14818447/recurso-extraordinario-re-234010-rj-stf

Informações relacionadas

Supremo Tribunal Federal
Jurisprudênciahá 26 anos

Supremo Tribunal Federal STF - RECURSO EXTRAORDINÁRIO: RE XXXXX RJ

Supremo Tribunal Federal
Jurisprudênciahá 16 anos

Supremo Tribunal Federal STF - RECURSO EXTRAORDINÁRIO: RE XXXXX SP

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 9 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - RECURSO ESPECIAL: REsp XXXXX PR 2011/XXXXX-8

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 24 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - RECURSO ESPECIAL: REsp XXXXX SP 1996/XXXXX-0

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 11 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - RECURSO ESPECIAL: REsp XXXXX MG 2010/XXXXX-0