jusbrasil.com.br
19 de Agosto de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Supremo Tribunal Federal STF - HABEAS CORPUS: HC 78708 SP

Supremo Tribunal Federal
há 23 anos

Detalhes da Jurisprudência

Processo

Órgão Julgador

Primeira Turma

Partes

Publicação

Julgamento

Relator

Min. SEPÚLVEDA PERTENCE

Documentos anexos

Inteiro TeorHC_78708_SP_1278846799568.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

Informação do direito ao silêncio (Const., art. 5º, LXIII): relevância, momento de exigibilidade, conseqüências da omissão: elisão, no caso, pelo comportamento processual do acusado. I. O direito à informação da faculdade de manter-se silente ganhou dignidade constitucional, porque instrumento insubstituível da eficácia real da vetusta garantia contra a auto- incriminação que a persistência planetária dos abusos policiais não deixa perder atualidade. II. Em princípio, ao invés de constituir desprezível irregularidade, a omissão do dever de informação ao preso dos seus direitos, no momento adequado, gera efetivamente a nulidade e impõe a desconsideração de todas as informações incriminatórias dele anteriormente obtidas, assim como das provas delas derivadas. III. Mas, em matéria de direito ao silêncio e à informação oportuna dele, a apuração do gravame há de fazer-se a partir do comportamento do réu e da orientação de sua defesa no processo: o direito à informação oportuna da faculdade de permanecer calado visa a assegurar ao acusado a livre opção entre o silêncio - que faz recair sobre a acusação todo o ônus da prova do crime e de sua responsabilidade - e a intervenção ativa, quando oferece versão dos fatos e se propõe a prová-la: a opção pela intervenção ativa implica abdicação do direito a manter-se calado e das conseqüências da falta de informação oportuna a respeito.

Resumo Estruturado

CT1170 , GARANTIA CONSTITUCIONAL, DIREITO AO SILÊNCIO, INFORMAÇÃO, EXIGÊNCIA, MOMENTO, AUTORIDADE POLICIAL, OMISSÃO, NULIDADE, CARACTERIZAÇÃO, PREJUÍZO, APURAÇÃO, RÉU, COMPORTAMENTO, DEFESA, ORIENTAÇÃO, RÉU, MANIFESTAÇÃO OPORTUNA, AUSÊNCIA , DIREITO, ABDICAÇÃO.

Doutrina

  • Obra: O INTERROGATÓRIO DO RÉU E O DIREITO AO SILÊNCIO
  • Autor: DAVID TEIXEIRA DE AZEVEDO
  • Obra: NULIDADES NO PROCESSO PENAL
  • Autor: ADA GRINOVER, SCARANCE FERNANDES E MAGALHÃES GOMES FILHO

Referências Legislativas

  • CF ANO-1988 ART- 00005 INC-00063

Observações

Votação: unânime. Resultado: indeferido. Número de páginas: (20). Análise:(JBM). Revisão:(AAF). Inclusão: 30/04/99, (SVF). Alteração: 23/01/04, (SVF).
Disponível em: https://stf.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/14697335/habeas-corpus-hc-78708-sp

Informações relacionadas

Rede de Ensino Luiz Flávio Gomes
Notíciashá 13 anos

Princípio da não auto-incriminação: significado, conteúdo, base jurídica e âmbito de incidência

Supremo Tribunal Federal
Jurisprudênciahá 23 anos

Supremo Tribunal Federal STF - HABEAS CORPUS: HC 78708 SP

Notíciashá 13 anos

Exercício do direito ao silêncio não pode fundamentar prisão preventiva (íntegra da decisão)

Rede de Ensino Luiz Flávio Gomes
Notíciashá 13 anos

Direito ao silêncio fundamenta concessão de liminar em HC pelo STF

Jurisprudênciahá 12 anos

Tribunal de Justiça do Piauí TJ-PI - Habeas Corpus: HC XXXXX00010029202 PI