jusbrasil.com.br
24 de Setembro de 2021
2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Supremo Tribunal Federal
há 4 meses
Detalhes da Jurisprudência
Processo
Rcl 0053545-61.2021.1.00.0000 GO 0053545-61.2021.1.00.0000
Partes
RECLTE.(S) : CF VIAGENS E TURISMO EIRELI - ME, RECLDO.(A/S) : TERCEIRA TURMA RECURSAL DOS JUIZADOS ESPECIAIS DA COMARCA DE RIO VERDE
Publicação
26/05/2021
Julgamento
10 de Maio de 2021
Relator
EDSON FACHIN
Documentos anexos
Inteiro TeorSTF_RCL_47260_9746a.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Inteiro Teor

Supremo Tribunal Federal

RECLAMAÇÃO 47.260 GOIÁS

RELATOR : MIN. EDSON FACHIN

RECLTE.(S) : CF VIAGENS E TURISMO EIRELI - ME

ADV.(A/S) : LARISSA DE OLIVEIRA DOMINGOS E OUTRO (A/S)

RECLDO.(A/S) : TERCEIRA TURMA RECURSAL DOS JUIZADOS

ESPECIAIS DA COMARCA DE RIO VERDE

ADV.(A/S) : SEM REPRESENTAÇÃO NOS AUTOS

BENEF.(A/S) : EDILAY BATISTA LEITE

ADV.(A/S) : SEM REPRESENTAÇÃO NOS AUTOS

DECISÃO: Trata-se de reclamação, com pedido liminar, ajuizada em face de decisão proferida pela 3ª Turma Recursal da Comarca de Rio Verde/GO, nos autos do Processo nº 5002056-71.2020.8.09.0137, que, ao negar provimento a agravo interno interposto contra a inadmissão de recurso extraordinário, teria usurpado a competência desta Corte.

Na origem, cuida-se de ação de indenização por danos materiais e morais ajuizada pela parte beneficiária em desfavor do reclamante no juizado especial, em que se deu a condenação da reclamante.

Sustentou-se a existência de cerceamento de defesa pelo juízo natural. Essa tese foi afastada no julgamento do recurso inominado o qual confirmou a sentença. Seguiu-se interposição de recurso extraordinário o qual foi negado por ausência de repercussão geral da matéria – Tema 800.

Alega-se que “a presente Reclamação objetiva sanar a injustiça aqui apontada, além de poder a Reclamante exercer o seu direito constitucional à ampla defesa, ao contraditório, à produção de todas as provas em direito admitidas, princípios constitucionalmente garantidos a todas as pessoas, sejam físicas ou jurídicas” (eDoc 1, p. 8).

Requer-se, assim, liminarmente, a suspensão do processo e, em definitivo, pleiteia seja julgada procedente a ação.

Deixo de solicitar informações à autoridade reclamada, bem como parecer à Procuradoria-Geral da República (art. 52, parágrafo único, do RISTF), por entender que o processo está suficientemente instruído e em condições de julgamento.

É o relatório. Decido.

O cabimento da reclamação, instituto jurídico de natureza

Supremo Tribunal Federal

RCL 47260 / GO

constitucional, deve ser aferido nos estritos limites das normas de regência, que somente a concebem para preservação da competência do Tribunal e para garantia da autoridade de suas decisões (art. 102, I, l, CF), bem como contra atos que contrariem ou indevidamente apliquem Súmula Vinculante (art. 103-A, § 3º, da CF).

A matéria também veio disciplinada pelo Novo Código de Processo Civil, que, no art. 988, prevê as hipóteses de seu cabimento, in verbis:

“Art. 988. Caberá reclamação da parte interessada ou do Ministério Público para:

I - preservar a competência do tribunal;

II - garantir a autoridade das decisões do tribunal;

III – garantir a observância de enunciado de súmula vinculante e de decisão do Supremo Tribunal Federal em controle concentrado de constitucionalidade; (Redação dada pela Lei nº 13.256, de 2016) (Vigência)

IV – garantir a observância de acórdão proferido em julgamento de incidente de resolução de demandas repetitivas ou de incidente de assunção de competência; (Redação dada pela Lei nº 13.256, de 2016) (Vigência)

§ 1º A reclamação pode ser proposta perante qualquer tribunal, e seu julgamento compete ao órgão jurisdicional cuja competência se busca preservar ou cuja autoridade se pretenda garantir.

§ 2º A reclamação deverá ser instruída com prova documental e dirigida ao presidente do tribunal.

§ 3º Assim que recebida, a reclamação será autuada e distribuída ao relator do processo principal, sempre que possível.

§ 4º As hipóteses dos incisos III e IV compreendem a aplicação indevida da tese jurídica e sua não aplicação aos casos que a ela correspondam.

§ 5º É inadmissível a reclamação: (Redação dada pela Lei nº 13.256, de 2016)

I – proposta após o trânsito em julgado da decisão reclamada; (Incluído pela Lei nº 13.256, de 2016)

2

Supremo Tribunal Federal

RCL 47260 / GO

II – proposta para garantir a observância de acórdão de recurso extraordinário com repercussão geral reconhecida ou de acórdão proferido em julgamento de recursos extraordinário ou especial repetitivos, quando não esgotadas as instâncias ordinárias. (Incluído pela Lei nº 13.256, de 2016)

§ 6º A inadmissibilidade ou o julgamento do recurso interposto contra a decisão proferida pelo órgão reclamado não prejudica a reclamação”.

Constata-se que o Juízo de origem inadmitiu o recurso extraordinário assentando a inexistência de requisitos aptos a reconhecer a repercussão geral da controvérsia (eDoc 37, p. 2):

“A respeito da questão, o próprio Supremo Tribunal Federal, no julgamento do Recurso Extraordinário com repercussão geral nº 835.833-RS decidiu pela inexistência de repercussão geral na discussão de questões meramente privadas discutidas no âmbito dos Juizados Especiais cíveis, devendo, na ausência de "adequada justificação", aplicar-se ao "recurso extraordinário interposto nas causas de juizados especiais estaduais cíveis da lei nº 9.099/95 os efeitos da ausência de repercussão geral".

O presente caso é emblemático da situação delineada, eis que tratando-se de interesses meramente privados, a causa já foi decidida e submetida a outro grau de jurisdição, não se desincumbindo o recorrente da demonstração de elementos indicativos da satisfação do requisito relativo à presença da repercussão geral, pelo que o recurso deve ter tolhido o seu seguimento.

Por não presentes os requisitos necessários, NEGO SEGUIMENTO ao recurso extraordinário interposto, com base no artigo 1030, inciso I, letra a do Código de Processo Civil.”

Ao negar provimento ao agravo, mantendo a decisão que, mediante a aplicação de entendimento do Supremo Tribunal Federal exarado no

3

Supremo Tribunal Federal

RCL 47260 / GO

regime de repercussão geral, inadmitiu o recurso extraordinário, a autoridade reclamada se utilizou de atribuição própria, inexistindo cogitar de usurpação da competência desta Corte. É que a aplicação da referida sistemática é atribuição das Cortes de origem, nos termos do art. 1.030, § 2º, do CPC.

Inviável, portanto, o manejo da reclamação, seja pela usurpação de competência, seja pela violação à Súmula 727. Nesse sentido, confiram-se os seguintes julgados:

“AGRAVO REGIMENTAL. RECLAMAÇÃO CONSTITUCIONAL. OBSERVÂNCIA DA SISTEMÁTICA DA REPERCUSSÃO GERAL NA ORIGEM. CABIMENTO DO AGRAVO INTERNO. USURPAÇÃO DE COMPETÊNCIA NÃO CONFIGURADA. A reclamação versa alegada usurpação da competência desta Suprema Corte por decisão denegatória do seguimento de recurso extraordinário em que se discute requisito de admissibilidade de recuso de revista previsto no art. 896, § 1º, A, I, da CLT por inexistente repercussão geral (Tema 181). Contra decisão em que negado seguimento a recurso extraordinário com fundamento na sistemática da repercussão geral cabível agravo interno a teor do art. 1.030, § 2º, do CPC/2015. Usurpação da competência desta Suprema Corte não demonstrada. Agravo regimental conhecido e desprovido.” (Rcl 30.830 AgR, Rel. Min. Rosa Weber, Primeira Turma, DJe 22.11.2018; grifos nossos)

“EMENTA Agravo regimental na reclamação. Negativa de seguimento a recurso extraordinário com fundamento no Tema nº 660 de repercussão geral (ARE nº 748371/MT-RG). Recurso extraordinário com agravo. Não conhecimento pelo Tribunal a quo. Ausência de usurpação de competência do STF. Artigo 1.042, caput, parte final, do CPC/15. Agravo regimental não provido. 1. Não cabe recurso de agravo contra decisão com que o órgão de origem, fundado em entendimento firmado em regime de repercussão geral, não admite recurso extraordinário (CPC/15, art. 1.042, caput, parte final). 2. Compete ao órgão

4

Supremo Tribunal Federal

RCL 47260 / GO

colegiado ao qual pertence o juízo prolator do despacho de inadmissibilidade de recurso extraordinário na origem (CPC-2015, art. 1.021, caput) proceder, em sede de agravo interno, à análise de adequação entre o teor do provimento concedido pelo órgão de origem acerca do tema constitucional destacado no recurso extraordinário e a tese de repercussão geral firmada pela Suprema Corte (CPC/2015, art. 1.029, § 1º c/c o art. 1.030, § 2º). 3. Agravo regimental não provido.” (Rcl 25078 AgR, Rel. Min. Dias Toffoli, Segunda Turma, DJe de 21.2.2017).

“PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO REGIMENTAL NA RECLAMAÇÃO. DECISÃO DO JUÍZO OU TRIBUNAL DE ORIGEM QUE APLICA A SISTEMÁTICA DA REPERCUSSÃO GERAL. IMPOSSIBILIDADE DE IMPUGNAÇÃO AO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. PRECEDENTES DO TRIBUNAL PLENO.

1. O Plenário desta Corte assentou o entendimento de que a negativa de seguimento do recurso extraordinário, pelo Juízo de origem, com base na sistemática da repercussão geral não é impugnável pelo agravo do art. 544 do CPC, nem por reclamação.

2. Na sistemática da repercussão geral pela instância a quo, admite-se a remessa do recurso ao STF unicamente quando, julgado o mérito do leading case, o Órgão de origem recusa a retratar-se para adequar o acórdão recorrido à orientação desta Corte. Em todas as demais situações, qualquer irresignação manifestada pela parte contra a aplicação dos arts. 543-A, § 5º, e 543-B do CPC seja no caso do § 2º, seja no caso do § 3º deverá ser apreciada no âmbito do próprio Tribunal/Juízo a quo, por meio de agravo interno.

3. Essa diretriz é aplicável aos casos em que a fundamentação da inadmissão do extraordinário esteja amparada em precedente do STF formado sob a sistemática da repercussão geral, seja indicando a inexistência da relevância da matéria, seja reconhecendo-a e pronunciando-se acerca do mérito em sentido contrário ao pretendido pela parte

5

Supremo Tribunal Federal

RCL 47260 / GO

recorrente. Independentemente do modo como a instância de origem obsta a admissão do recurso extraordinário (negando lhe seguimento, inadmitindo-o, não o conhecendo, julgando-o prejudicado ou inferindo-o liminarmente), não caberá nenhuma forma de impugnação a esta Corte se a decisão tiver por fundamento precedente do STF julgado sob o rito da repercussão geral.

4. Observadas essas condições, a orientação não representa desrespeito à Súmula 727/STF.

5. Agravo regimental a que se nega provimento.” (Rcl 22284 AgR, Rel. Min. Teori Zavascki, Segunda Turma, DJe 1º.12.2015; grifos nossos)

Pelo exposto, nos termos dos arts. 21, § 1º, e 161, parágrafo único, nego seguimento á reclamação, ficando prejudicado o pedido liminar.

Publique-se. Intime-se.

Brasília, 10 de maio de 2021.

Ministro EDSON FACHIN

Relator

Documento assinado digitalmente

6

Disponível em: https://stf.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/1216998938/reclamacao-rcl-47260-go-0053545-6120211000000/inteiro-teor-1216998962

Informações relacionadas

Supremo Tribunal Federal
Jurisprudênciahá 3 anos

Supremo Tribunal Federal STF - RECLAMAÇÃO : Rcl 0073081-63.2018.1.00.0000 GO - GOIÁS 0073081-63.2018.1.00.0000

RECLAMAÇAO CONSTITUCIONAL. ADMISSIBILIDADE DE RECURSO EXTRAORDINÁRIO. OBSERVÂNCIA DA SISTEMÁTICA DA REPERCUSSAO GERAL. CABIMENTO DE AGRAVO INTERNO. USURPAÇAO DE COMPETÊNCIA NAO CONFIGURADA. Vistos etc. 1. Trata-se de Reclamação proposta por Celg Distribuição S/A. contra decisão proferida pelo Tribunal Superior do …
Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 6 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - RECLAMAÇÃO : Rcl 0125917-50.2015.3.00.0000 RJ 2015/0125917-5

RECLAMAÇÃO Nº 25.078 - RJ (2015/0125917-5) RELATOR : MINISTRO MARCO BUZZI RECLAMANTE : CASABELLA CARIOCA COOPERATIVA HABITACIONAL LTDA ADVOGADO : ROGER FELIPE DE ALMEIDA SLOSASKI RECLAMADO : QUINTA TURMA DO CONSELHO RECURSAL DOS JUIZADOS ESPECIAIS CÍVEIS E CRIMINAIS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO INTERES. : DIEGO DE JESUS …
Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 7 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - RECLAMAÇÃO : Rcl 0307900-16.2014.3.00.0000 SP 2014/0307900-0

RECLAMAÇÃO Nº 22.284 - SP (2014/0307900-0) RELATOR : MINISTRO RICARDO VILLAS BÔAS CUEVA RECLAMANTE : OMNI S/A CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO ADVOGADO : EDUARDO PENA DE MOURA FRANCA E OUTRO(S) RECLAMADO : COLÉGIO RECURSAL DA 55A CIRCUNSCRIÇÃO JUDICIÁRIA - JALES - DO ESTADO DE SÃO PAULO INTERES. : DIEGO SORIA RUIZ …